Programação 5ª Feira de Arte Impressa Tijuana

A sobrelivros (Rafaela Jemmene e Bruno Mendonça) participará da programação da 5ª Feira de Arte Impressa Tijuana

Em 2013, pela primeira vez, a Feira Tijuana sai da Galeria Vermelho, e é abrigada pela Casa do Povo e pela Oficina Cultural Oswald de Andrade. Com cerca de 50 expositores, além de lançamentos de livros e trabalhos, a Feira Tijuana propõe uma programação de debates, projeções, oficinas e uma exposição.

DEBATES Onde: Casa do Povo / 1° andar

Sábado/ 12h00-13h00 Pela Superfície das Páginas - Relato de uma exposição - Com Júlio Martins e Regina Melim: No lançamento da publicação Through the Surface of the Pages, Regina Melim (SC) conversa com Júlio Martins (BH), curador da exposição e diretor da publicação Through the Surface of the Pages, realizado no DRCLAS, Harvard University. A publicação será distribuída na ocasião.

Sábado/ 13h00-14h00 Pluvial Fluvial Com Raquel Stolf e Claudia Zimmer - Mediação Joana Corona: As idealizadoras da publicação experimental Pluvial Fluvial, contemplada pelo Edital Funarte, conversam com Joana Corona (PR), uma das artistas convidadas para o projeto.

Sábado/ 14h00-14h30 Poesia em performance nos livros-livres - Fala performática de Ricardo Corona (PR): A partir dos livros Curare (SP: Iluminuras, 2011), ¿Ahn? [Abominable hombre de las nieves] (Madri: Poetas de Cabra, 2012) e “Mandraca” (Centro Cultural São Paulo, col. Poesia Viva, 2013), a performance do poeta Ricardo Corona lida com o lugar e a relação do corpo (autor, livro, poema) com o espaço da performance.

Sábado/ 15h00-17h00 Máquina de Escrever Organização: Capacete Entretenimentos Com Guillaume Desanges (França), Manuel Segade (Espanha), e demais participantes do programa: Organizado por Manuela Moscoso e Amilcar Packer, consiste em um grupo de estudos e de trabalho que investiga a escrita como ferramenta e meio para o desenvolvimento de práticas curatoriais experimentais em artes plásticas. Essa apresentação pública do grupo e do trabalho em andamento contará com a presença dos curadores Guillaume Desanges (França) e Manuel Segade (Espanha).

Domingo/ 12h-13h00 Extra-disciplinary spaces and dedisciplinizing moments. In and out of the 30th Bienal de São Paulo Com Tobi Maier: Para o lançamento da publicação, Tobi Maier, co-curador da 30a Bienal e responsável pelo projeto, apresentará a maneira como o impresso continua essa exposição ao reformatar o material e criar novas montagens ente os trabalhos e documentos. Incluindo artistas e pensadores que não chegaram a participar diretamente da Bienal, a proposta é, sobretudo, de continuar as reflexões acerca/sobre a Bienal de São Paulo de 2012, a “Iminência das Poéticas”

Domingo/ 13h00-14h00 Publicações digitais Com Giselle Biguelmann: Giselle Beiguelmann propõe uma reflexão acerca das publicações digitais a partir do ponto de vista de que elas elaboram um novo paradigma de leitura. De ato individual, silencioso e introspectivo ela passa a ser uma atividade social e compartilhada. a leitura passa a se confundir com um processo de curadoria de informação por meio de dispositivos de escrever, ler e publicar.

Domingo/ 14h00-17h00 Três debates com a Maré

Maré é uma publicação virtual de crítica de arte sem fins lucrativos. Propõe a criação de um espaço temporal para o diálogo entre críticos, artistas, pesquisadores, colecionadores, público e curadores emergentes na forma de encontros presenciais, cujas discussões serão incorporadas como conteúdo textual na publicação digital. Os três debates giram ao redor de uma questão específica: quais características que definiriam novos formatos de curadoria? Tendo como interlocutoras as editoras da revista, estarão também presentes os responsáveis pelos projetos para responder às perguntas.

1) 14h00-15h00 / Técnicas de Desaparecimento Um projeto de Renan Araujo, 2012 - Interlocutora: Isabella Rjeille: Técnicas de Desaparecimento se configurou como uma prática curatorial, realizada em maio de 2012 em Guantánamo/Caimanera, Cuba, próximo a base militar e presídio norte-americano. Não contou com registros fotográficos em solo cubano, tampouco, um local específico ocupado pelo projeto – este, misturou-se aos acontecimentos de uma estranha cidade que, à sombra de um dos mais violentos presídios do mundo, caminha com suas atividades rotineiras. O projeto reuniu com a reunião de artefatos e projetos de artistas, desenvolvidos ou apropriados para, de alguma forma, acontecerem durante o percurso Havana-Guantánamo/Caimanera. Sua execução foi estabelecida pelo curador, que, portando em sua mochila/corpo os trabalhos e objetos, encontraria para eles um local e um tempo para acontecer, numa recontextualização e resignificação sempre cambiantes.

2) 15h00-16h00 / Acervo móvel Projeto de Sobrelivros - Interlocutora: Fernanda D'Agostino: A sobrelivros pode ser percebida como uma sobreposição de formatos. Formada por dois artistas, Rafaela Jemmene e Bruno Mendonça, que também atuam como curadores, colecionadores, mediadores e propositores, o projeto organiza exposições próprias em espaços anfitriões, serve como plataforma dialógica para os seus fundadores e constitui, desde 2010, uma coleção de publicações múltiplas de arte. Sobre esta coleção, o "Acervo móvel" é apresentado de forma permanente no espaço da Casa Contemporânea, em São Paulo, e itinerante a partir de recortes temáticos feitos pelos fundadores, sempre em diálogo com o contexto onde é exibido.

3) 16h00-17h00 / O fantasma no espelho: um breve comentário sobre a exposição Lugar Comum Exposição de Fernando Oliva - Interlocutora: Marilia Loureiro: A proposta de Fernando Oliva para o 2o Laboratório Curatorial da SP-Arte mobilizou alguns códigos caros ao funcionamento de uma feira arte contemporânea, cuja articulação gerou reflexões críticas acerca do assunto. Começando por sua própria participação em um projeto para curadores iniciantes, Oliva - que já realizou exposições no MAM-SP, MIS, CCSP, Itaú Cultural e Paço das Artes, - problematiza, voluntariamente ou não, uma certa concepção hierárquica implícita no trajeto do curador profissional. Ao defrontar-se com o dilema acerca da possibilidade de transbordamento crítico dentro dos limites de um ambiente tão controlado quanto ao de uma feira de arte, Fernando, em diálogo com os artistas convidados, lança mão de obras cuja marca comum é a reflexão sobre o território onde estão inseridas. A dupla participação destes artistas, com trabalhos no stand de suas galerias e, ao mesmo tempo, em uma exposição norteada justamente pelo fantasma da comodificação, sugere um efeito Doppelgänger, como um sósia ou dublê, que vaga e assombra sua figura gêmea.

PROJEÇÕES

Sábado 17h00-18h30 Projeção e lançamento do Documentário “Códigos Escritos” Realização: sobrelivros e Lia Testa: O documentário Códigos Escritos é uma realização da sobrelivros (projeto realizado pelos artistas Rafaela Jemmene e Bruno Mendonça a partir de múltiplas publicações sobre arte) em parceria com a pesquisadora Lia Testa com apoio da PUC-SP e UFT. O foco do documentário é a relação entre "palavra e imagem" no campo da arte contemporânea, e trata do trabalho dos artistas Fabio Morais, Lenora de Barros, Nuno Ramos e Edith Derdyk. No sábado, haverá uma conversa com Omar Khouri e Amir Cadôr, ambos entrevistados no filme. Onde: Casa do Povo / 1° andar

OFICINAS

Os interessados podem se inscrever em três oficinas relacionadas às artes impressas. As inscrições devem ser feitas no site da oficina Cultural Oswald de Andrade. Onde: Oficina Cultural Oswald de Andrade

Editora 3 dias 23 a 25/7 – terça a quinta-feira – 13h00 às 19h00 Coordenação: Fábio Morais: A Editora 3 Dias é uma proposição artística de Fábio Morais e se trata de uma editora efêmera. Projetos de livros trazidos pelo público serão editados em um formato padrão: três folhas de sulfite tamanho A5, dobradas ao meio e grampeadas, somando 12 páginas, incluindo capa e contracapa; impressão em preto; e tiragem de nove exemplares (um exemplar fica para o acervo da editora, e os outros oito são do autor). À medida que forem produzidos, os livros são expostos na Feira Tijuana. Público: pessoas que possuam um projeto de livro que queiram editar Inscrição: 20/6 a 16/7 Seleção: enviar o projeto de livro pelo e-mail: editora3dias@hotmail.com vagas: 15 Workshop de encadernação 27/7 – sábado – 10h00 às 14h00 Coordenação: Sidnei Perego: A oficina demonstra técnicas básicas de encadernação, abordando tipos de papéis, costura de cadernos, corte das capas e revestimentos. O material para a produção dos cadernos – papéis, tecidos, cola, linhas e agulhas – é fornecido, mas cada participante deve trazer seu próprio conjunto de esquadros, réguas e estilete. Público: interessados em geral Inscrição: 10 a 27/7 Seleção: primeiros inscritos Vagas: 15 Workshop de Serigrafia 27 e 28/7 – sábado e domingo – 10h00 às 12h30 Coordenação: Rogério Maciel: De forma concisa, este workshop passa pelas etapas básicas da produção serigráfica: como preparar, confeccionar e recuperar matrizes; separação de cores; registro impressão. O material é fornecido; cada participante deve trazer um desenho a ser impresso em duas cores, bem como papéis especiais de sua preferência. Público: artistas, publicitários, designers e demais interessados Inscrição: 10 a 24/7 Seleção: carta de interesse e currículo breve Vagas: 10

EXPOSIÇÃO

A abertura da exposição, ocorre durante a feira Tijuana, mas permanece até 24/08. Onde: Oficina Cultural Oswald de Andrade

Abertura: sábado (27/07) e domingo (28/07), do meio dia às 20h. Performances as 19h. Datas: 29/7 a 24/8, de segunda a sexta-feira, das 10h às 21h e aos sábados, das 10h30 às 17h30. Classificação: livre Sala de Leitura Curadoria Galciani Neves e Vitor Cesar Com Elida Tessler, Enrico Rocha, Felipe Kaizer, Jimson Vilela, Jorge Menna Barreto, Vera Chaves Barcelos, entre outros: Sala de Leitura é um livro coletivo. Suas páginas em grandes dimensões acontecem no espaço e propõem uma discussão acerca do exercício leitura, da tessitura que se desenrola nesse ato. Com intervenções visuais de André Visockis, os textos caligrafados à mão pelos artistas convidam o visitante/leitor a espraiar-se pelo espaço enquanto lê.

Sábado15h-20h00 Variação Par (art) digmática, de Carlos Monroy: Em Variação Par (art) digmática, Carlos Monroy irá passar o dia sentado no espaço expositivo, seguindo uma rotina regular: pegar um lenço de papel, escrever uma frase nele usando caneta porosa, segurá-lo com a mensagem voltada ao público. Após alguns minutos, enxugar o nariz com o lenço e jogá-lo no chão, reiniciando então sua rotina com uma nova frase. A performance dura o dia todo ou até a repetição levar a alguma extenuação física. Nascido em 1984 (Bogotá, Colômbia), é Mestre em Arte com ênfase em Meios Eletrônicos e Artes do Tempo (Multimeios) e em Historia e Teoria da Arte (2009) pela Universidad de los Andes em Bogotá.

Domingo 19h Momento Vital de Vera Chaves Barcelos: Em Momento vital, performance realizada pela primeira vez em 1979, a artista lê um livro composto por um único parágrafo. Em cada página, a leitura se constitui, se repete e se fragmenta. Em suas palavras: “é uma dinâmica de leitura que quebra o encanto do momento, da fruição, de algo que seria único e que não tornaria a acontecer. De certa forma, é também uma metáfora da vida que se leva intensamente e que cada vez, que se reflete sobre ela, deixa-se de viver um pouco”. Nascida em 1938 (Porto Alegre, Brasil), artista multimídia, estudou na Inglaterra, França e Holanda (1961-62), foi bolsista do British Council, Croydon College, Londres (1975) e já expus na Bienal de Veneza (1976) e em mostras no Brasil e no exterior desde a década de 1960. Panorâmicas de sua obra de séries fotográficas e instalações foram apresentadas no Santander Cultural, Porto Alegre (2007) e no MASP (2009). Desde 1986 divide seu tempo entre Brasil e Espanha. Institui uma Fundação que leva seu nome, no sul do Brasil, em 2004.