FEIRA E-CÊNTRICA - PROGRAMAÇÃO


Feira e-cêntrica de publicações independentes apoia inovação no mercado editorial brasileiroEditoras, autores independentes, coletivos criativos e artistas gráficos de todo o Brasil expõem livros especiais, HQs, zines e artes gráficas, na Vila Cultural Cora Coralina em Goiânia.


FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1UpAYa_oYiPMej-js0OmXJuL6uKM9VOUf?usp=sharing


Mais de 100 publicadores independentes de seis estados e do Distrito Federal integram a feira e-cêntrica, nos dias 7 e 8 de março, na Vila Cultural Cora Coralina, no Centro de Goiânia. Expositores apresentam, para público de todas as idades, seus livros especiais, histórias em quadrinhos, zines e artes gráficas. A programação gratuita inclui oficinas, minicurso e rodas de conversa com escritores, editores e pesquisadores, exposições de arte, além de lançamentos literários. Apoio: Lei Municipal de Incentivo à Cultura e apresentação do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, por meio do edital de fomento à literaura de 2018. A feira e-cêntrica é uma ação de apoio à inovação do mercado editorial e, em 2020, integra o Projeto Madalena Caramuru. Realizado pela Nega Lilu Editora e pela Casa da Cultura Digital, o trabalho visa impactar a cadeia produtiva do livro de ponta a ponta: estimulando a leitura, formando novos autores, motivando a autopublicação e buscando circulação independente para a produção gráfica e literária.“A qualificação de leitoras e leitores, a valorização da autoria, a atualização do papel das editoras, distribuidoras e livrarias e a busca de novos modelos de negócios estão entre os aspectos fundamentais para a inovação no mercado editorial”, defende a coordenadora e curadora da e-cêntrica, a escritora e editora Larissa Mundim.De acordo com ela, a estratégia da e-cêntrica passa também pelo combate à invisibilidade da produção gráfica e literária nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil, pelo fortalecimento e ampliação da atuação de pessoas racialmente e sexualmente sub-representadas desta cadeia produtiva e pela busca de alternativas de difusão e comercialização da produção. Para além da feira de publicações independentes, o trabalho desenvolvido pela e-cêntrica pode ser conhecido em www.e-centrica.org.


Expositores:

As editoras, selos literários, coletivos criativos e artistas gráficos que compõem a feira passaram por processo seletivo que considerou esta visão e-cêntrica. Sendo assim, para a curadora, juntamente com a qualidade do trabalho, a representatividade foi critério fundamental na escolha dos expositores. “Gênero, sexualidade e as questões étnico raciais estão contempladas pela curadoria”, ressalta Mundim. Segundo ela, aos poucos a e-cêntrica vem atraindo o interesse de publicadores indígenas, idosos e de pessoas com deficiência, cuja autoria já está representada desde as primeiras edições da feira.A primeira edição da e-cêntrica teve 64 expositores e a segunda contou com 80. Com o aumento do número de editoras, selos literários, coletivos criativos e artista gráficos, a curadoria garantiu a ampliação de representatividade. Assim, em 2020, cresceu a participação de mulheres, negros, LGBTQIs e autores indígenas estão contemplados por meio de publicações de editoras como a AUA (DF) e a Pólen Livros (SP).


Atividades formativas:

Os trabalhos gratuitos de formação se iniciam um dia antes da feira, com a Oficina Peripatética de Escrita Criativa, conduzida pela escritora e jornalista Cássia Fernandes (GO), nas ruas do Centro de Goiânia. Ao todo são mais de 20 oficinas, rodas de conversa e o minicurso com a editora Lizandra Magon (Pólen Livros). As inscrições estiveram abertas até 3 de março e mais de 300 vagas foram disponibilizadas para pessoas interessadas em leitura, escrita, literatura e em estratégias pedagógicas de estímulo à leitura.Ainda há vagas para os bate-papos, com destaque para as rodas de conversa conduzidas por escritoras e editores de todo o Brasil. No sábado, “Lesbiandade na obra de Cidinha da Silva”, é destaque na programação, com a presença da autora. Ainda no dia 7, diversidade, inclusão e acessibilidade é tema da conversa com quatro autores goianos: Ademar de Queiroz, Ana Christina da Rocha Lima, Carla Lacerda e Chyntia Barcellos. No dia 8, a ilustradora Ciça Fittipaldi, indicada pela quinta vez para o Prêmio Hans Christian Andersen, discute aspectos do mercado editorial com os ilustradores Juliana Russo Burgierman (SP), Luana Santa Brígida (GO) e Nestor Junior (SC). O negócio livreiro é destaque na pauta de domingo, por meio do bate-papo “Novas estratégias de distribuição no mercado editorial”, que reúne Larissa Mundim (GO), Lizandra Magon (SP), Rodrigo Acioli (PE) e Wallison Gontijo (MG). Confira abaixo a programação completa da feira e-cêntrica de publicações independentes.


Lançamentos literários:

A feira também dedica espaço para a aproximação entre leitores e autores, nos encontros programados para 19h30, no sábado, e 18h30, no domingo. Este ano os lançamentos literários coletivos trazem a Goiânia Cidinha da Silva (Parem de nos matar, Pólen Livros), Eliete Della Violla (Sim, autopublicação), Juliana Russo Burgierman (Pequenos acasos cotidianos, Sala Aberta), Ricardo Rodrigues (Nosso amor não é bom pra ninguém – breve catálogo de desamores, da Experimentos impressos) e Tatiana Nascimento (Leve sua culpa branca pra terapia, padê editorial).A literatura goiana estará representada por Gustavo Neiva Coelho, que lança Dias de chuva, publicado pela Trilhas Urbanas. O livro artesanal Peri patê, antologia poética resultante da Oficina Peripatética de Escrita Criativa também virá a publico na noite de domingo, com costura manual, tiragem limitada, especial para colecionadores.


Exposição:

O produto das oficinas de carimbos artesanais, linogravura e as três oficinas de desenho ganha espaço para exposição nesta edição da feira. A galeria Antonio Poteiro da Vila Cultural Cora Coralina foi incorporada ao espaço da feira e-cêntrica e vai receber uma exposição individual de Sophia Pinheiro: Tekoypy ‒ a origem do mundo Mbyá-Guarani. A artista também traz a público os originais do retrato de Madalena Caramuru, arte que norteou a criação de identidade visual da feira e-cêntrica.


Madalena Caramuru:

A feira e-cêntrica integra o projeto Madalena Caramuru que, além desta ação de difusão da produção gráfica-literária independente, promove um programa de capacitação para gestores de bibliotecas públicas em Goiânia e Região Metropolitana. Entre abril e novembro de 2020, com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás, a NegaLilu Editora e a Casa da Cultura Digital irão realizar seminários mensais para discussões ancoradas em dois marcos legais: Política Nacional de Leitura e Escrita (PNLE) e sobre o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL).Este programa de capacitação foi idealizado para fortalecer as bibliotecas públicas, mas está aberto a toda a comunidade interessada na cadeia produtiva do livro, no mercado editorial, em estratégias pedagógicas de qualificação da leitura e estímulo à escrita. Entre os profissionais convidados para a condução dos debates e dos grupos de trabalho formados pelos gestores de bibliotecas públicas estão: Alessandra Roscoe (DF), Aline Rochedo Pachamama-Churiah Puri (RJ), Claudine Duarte (DF), José Castilho Marques Filho (SP), Larissa Mundim (GO), Maria das Graças Monteiro (GO), Veridiana Negrini (SP) e Volnei Canônica (RS).


Expositores da feira e-cêntrica 2020:

Alegrias Ilustradas (DF), Âmbar (GO), Ana Francotti (SP), Ana Póvoas (GO), Andorinea (DF), André Giusti (DF), Artera Galeria (GO), Arthur Moura Campos (SP), Ateliê ReTina (RS), Ateliê Tipográfico UFG (GO), AUA Coletivo (DF), Bibliofuscoteca (GO), Borogodó Editora (SP), Capitonê (GO), Carlos Edu Bernardes (GO), Cátia Ana (GO), Célia Gondo (GO), Cida Carneiro (GO), Cristiane Sobral (DF), Coletivo Bichofeo (SP), Coletivo e/ou (GO), Coletivo Fiasco (GO), David Mendoza (GO), Decimal (RS), Diogo Rustoff  (GO), Dita Livros (SP), Êbe Jaque e autores do Coletivo AVÁ (DF), Edições Barbatana (SP), Edições Kisimbi (DF), Editora Aleph (SP), Editora Nautilus (DF), Editora Trilhas Urbanas (GO), Eduardo Calazans (DF), Efêmera Azul (GO), Eliete Della Violla (SP), Experimentos Impressos (RS), Fanzinaço-Fanzinação (GO), Flor Absurda (SP), Flor de Saturno (GO), Front’Ana (GO), Gazy Andraus (GO), gomes e maia (SP), Hidrolands Grafish Atelier (GO), I botons e adesivos (GO), Impressões de Minas (MG), Isdrúxula (DF), João Guedes (SP), Juliana Minelli (RJ), Juliana Russo – Sala Aberta (SP), Jurupiá (GO), Kelly Alonso Braga (SP), Kuanza Produções (SP), Livraria Leodegária (GO), Livraria Palavrear (GO), Lote 42 (SP), LTG (DF), Lucão (GO), Mandrake Comic Shop (GO), Marilda Jorge Restaurações (GO), martelo casa editorial (GO), Marú (GO), Max Andrade (DF), MMarte (GO), MOP ‒ Mostra de Publicações Independentes (PE), Nanda Fer Pimenta (DF), NegaLilu (GO), Negócios Manuais (DF), Nestor Junior (SC), O Jardim (Vários), O sexo da palavra (MG), Outubro Edições (DF), padê editorial (DF), Patuá (SP),  Patworkpat (GO), Pedro